sociedade de economia mista subsidiaria

  • Receive alerts:
  • by e-mail
    Your information will be added to a database with the sole purpose of serving your subscription. This database is the exclusive property of vLex Networks S.L. and will never be shared with any other company. By sending your request you accept the Data Protection Policy of vLex Networks S.L.
  • via RSS

More than 10.000 documents for sociedade de economia mista subsidiaria
  • EMBARGOS DE DECLARAÇÃO. RITO SUMARÍSSIMO. SOCIEDADE DE ECONOMIA MISTA (PETROBRAS), RESPONSABILIDADE SUBSIDIÁRIA. APLICAÇÃO DO NOVO PARADIGMA DA ADC 16. PROCESSUAL. Embargos declaratórios providos para conhecer e prover o agravo de instrumento, a fim de determinar o processamento do recurso de revista, visando melhor análise da decisão embargada à luz do novo paradigma jurídico da ADC 16, julgada pelo STF. RECURSO DE REVISTA. RITO SUMARÍSSIMO. SOCIEDADE DE ECONOMIA MISTA (PETROBRAS), RESPONSABILIDADE SUBSIDIÁRIA. APLICAÇÃO DO NOVO PARADIGMA DA ADC 16. PROCESSUAL. Após o resultado do julgamento da ADC 16, em controle de constitucionalidade do art. 71, § 1º, da Lei 8.666/93, proferido pela Suprema Corte, não há como responsabilizar subsidiariamente a entidade estatal, seja integrante da Ad...

  • APELAÇÃO CÍVEL - PRELIMINAR DE OFÍCIO - NULIDADE DA SENTENÇA - COMPETÊNCIA ABSOLUTA - SOCIEDADE DE ECONOMIA MISTA - SUBSIDIÁRIA - ADMINISTRAÇÃO INDIRETA. É de se reconhecer a nulidade da sentença proferida por Juiz de Vara Cível, em ação que intervêm como requerida subsidiária integral de sociedade de economia mista, quando distribuída em comarca com Vara de Fazenda Pública e Autarquias instalada, pois compete a esta última Vara, de forma absoluta, ratione personae, o processamento e julgamento da ação.

  • AGRAVO DE INSTRUMENTO. AÇÃO CIVIL PÚBLICA. OBRIGAÇÃO DE FAZER. SERVIDÃO DE OLEODUTO. DEVER DE FISCALIZAÇÃO. ÁREA NÃO EDIFICÁVEL. SOCIEDADE DE ECONOMIA MISTA. LICENÇA DE OPERAÇÃO CONCEDIDA A EMPRESA SUBSIDIÁRIA. REGIME DE RESPONSABILIDADE. Concedida licença destinada a autorizar a promoção de operação relativa ao transporte, mediante oleoduto, a empresa subsidiária de sociedade de economia mista, com imposição de condições e restrições, como a de colocação de placas de sinalização e advertência com o intuito de impedir construções sobre faixa "non aedificandi", inclusive com a realização de vistorias periódicas, merece manutenção a liminar concedida pelo Juízo de primeiro grau para determinar a realização de tal fiscalização. Ordem contida na decisão agravada que deve obrigar, ...

  • AGRAVO DE INSTRUMENTO. RECURSO DE REVISTA. RESPONSABILIDADE SUBSIDIÁRIA. ENTE PÚBLICO. SOCIEDADE DE ECONOMIA MISTA. Provável ofensa ao artigo 71, § 1º, da Lei 8.666/93 - tendo em vista a discussão sobre a responsabilidade subsidiária da Administração Pública - autoriza o provimento do agravo de instrumento. RECURSO DE REVISTA. NULIDADE POR NEGATIVA DE PRESTAÇÃO JURISDICIONAL. Preliminar que se deixa de analisar com base no artigo 249, § 2º, do CPC. ILEGITIMIDADE PASSIVA. Recurso calcado em violação do art. 249, § 2º, do CPC. A indicação em petição inicial de que o Banco foi beneficiário dos serviços prestados pela trabalhadora revela sua legitimidade passiva para contestar a ação. Recurso de revista não conhecido. INÉPCIA DA INICIAL. Recurso calcado em violação da lei e da Constituição ...

  • PROCESSUAL CIVIL. EXECUÇÃO PROMOVIDA CONTRA SOCIEDADE DE ECONOMIA MISTA. RESPONSABILIDADE APENAS SUBSIDIÁRIA DO CONTROLADOR. MUNICÍPIO-CONTROLADOR QUE NÃO PARTICIPOU DA AÇÃO ORDINÁRIA NEM FOI CITADO NA EXECUÇÃO. EMISSÃO DE PRECATÓRIO. INVIABILIDADE. A responsabilidade do Município-controlador, em relação aos débitos da sociedade de economia mista, é subsidiária, nos termos do art. 242 da Lei das Sociedades Anônimas (revogado pela Lei 10.303/2001). Em Execução ordinária promovida exclusivamente contra a sociedade de economia mista, é inviável a emissão de precatório contra o Município-controlador que não tenha sido sequer citado para apresentar Embargos, nem participado da anterior ação condenatória. Recurso Especial provido. (REsp 729.485/SC, Rel. Ministro HERMAN BENJAMIN, ...

  • RESPONSABILIDADE SUBSIDIÁRIA. SOCIEDADE DE ECONOMIA MISTA. SÚMULA N.º 331, V, DO TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO. CONDUTA OMISSIVA. 1. O Supremo Tribunal Federal, ao julgar a Ação Declaratória de Constitucionalidade n.º 16/DF, publicada no Dje de 09/09/2011, reconheceu a constitucionalidade do artigo 71, § 1º, da Lei n.º 8.666, de 26 de junho de 1993, com a redação que lhe emprestou a Lei n.º 9.032/1995. A excelsa Corte, na ocasião, sufragou tese no sentido de que a mera inadimplência da empresa contratada não justifica a transferência, para a Administração Pública, da responsabilidade pelo pagamento dos encargos resultantes da relação de emprego havida entre particulares. Ressalvou, todavia, o Supremo Tribunal Federal, que a conduta omissiva da Administração Pública, quanto ao seu poder-...

  • DIREITO TRIBUTÁRIO. CONTRIBUINTE DO PASEP. NEGATIVA DE PRESTAÇÃO JURISDICIONAL NÃO CONFIGURADA. DISCUSSÃO EM TORNO DA NECESSIDADE DE LEI AUTORIZADORA PARA QUE A AGRAVANTE, NO PERÍODO DE 1979 A 1996, FOSSE TIDA COMO SUBSIDIÁRIA DE SOCIEDADE DE ECONOMIA MISTA. ACÓRDÃO RECORRIDO PUBLICADO EM 19.6. Inexiste violação do artigo 93, IX, da Constituição Federal. Na compreensão desta Suprema Corte, o texto constitucional exige que o órgão jurisdicional explicite as razões de seu convencimento, sem necessidade, contudo, do exame detalhado de cada argumento esgrimido pelas partes. Por outro lado, o exame da alegada ofensa ao art. 5º, XXXVI e LV, da Lei Maior dependeria de prévia análise da legislação infraconstitucional aplicada à espécie, o que refoge à competência jurisdicional extraordinária, ...

  • RESPONSABILIDADE SUBSIDIÁRIA. SOCIEDADE DE ECONOMIA MISTA. SÚMULA N.º 331, V, DO TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO. CONDUTA OMISSIVA. 1. O Supremo Tribunal Federal, ao julgar a Ação Declaratória de Constitucionalidade n.º 16/DF, publicada no Dje de 09/09/2011, reconheceu a constitucionalidade do artigo 71, § 1º, da Lei n.º 8.666, de 26 de junho de 1993, com a redação que lhe emprestou a Lei n.º 9.032/1995. A excelsa Corte, na ocasião, sufragou tese no sentido de que a mera inadimplência da empresa contratada não justifica a transferência, para a Administração Pública, da responsabilidade pelo pagamento dos encargos resultantes da relação de emprego havida entre particulares. Ressalvou, todavia, o Supremo Tribunal Federal, que a conduta omissiva da Administração Pública, quanto ao seu poder-...

  • RECURSO ORDINÁRIO DA SEGUNDA RECLAMADA. RESPONSABILIDADE SUBSIDIÁRIA DO TOMADOR DE SERVIÇOS. SOCIEDADE DE ECONOMIA MISTA. A Administração Pública, quando firma contratos, deve observância aos princípios administrativos constitucionais, sendo objetivamente responsável pelos danos que seus agentes praticarem a terceiros, ao atuarem revestidos de tal qualidade (art. 37, § 6º, da Constituição Federal). Aplicação da Súmula 331, V, do TST. Recurso não provido.

  • RESPONSABILIDADE SUBSIDIÁRIA. SOCIEDADE DE ECONOMIA MISTA. SÚMULA N.º 331, V, DO TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO. CONDUTA OMISSIVA. 1. O Supremo Tribunal Federal, ao julgar a Ação Declaratória de Constitucionalidade n.º 16/DF, publicada no Dje de 09/09/2011, reconheceu a constitucionalidade do artigo 71, § 1º, da Lei n.º 8.666, de 26 de junho de 1993, com a redação que lhe emprestou a Lei n.º 9.032/1995. A excelsa Corte, na ocasião, sufragou tese no sentido de que a mera inadimplência da empresa contratada não justifica a transferência, para a Administração Pública, da responsabilidade pelo pagamento dos encargos resultantes da relação de emprego havida entre particulares. Ressalvou, todavia, o Supremo Tribunal Federal, que a conduta omissiva da Administração Pública, quanto ao seu poder-...

ver las páginas en versión mobile | web

ver las páginas en versión mobile | web

© Copyright 2014, vLex. All Rights Reserved.

Contents in vLex Brazil

Explore vLex

For Professionals

For Partners

Company